Pai é suspeito de agredir bebê de apenas três meses

Menina está internada na UTI em estado gravíssimo, sendo que ela corria risco de morte.

Imagem Ilustrativa

Um bebê de três meses está internado em estado grave no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. A menina de Capivari de Baixo está na UTI e apresenta afundamento de crânio e diversos hematomas.

A suspeita é de que ela tenha sido agredida pelo próprio pai. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Vandilson Moreira da Silva, foram as equipes do hospital que acionaram a polícia e o Conselho Tutelar, após desconfiarem de agressões e maus-tratos, já que não foi a primeira vez que a menina deu entrada no hospital.

O caso mais grave foi registrado ontem, quando a criança foi hospitalizada em Tubarão. “Ao que já apuramos, com apenas 20 dias de vida a menina foi internada e apresentou três costelas quebradas. Algum tempo depois, voltou ao hospital com convulsões. E hoje (ontem), chegou novamente na unidade hospitalar, só que, desta vez, em estado gravíssimo. Foi atendida e levada à Unidade de Terapia Intensiva”, informa Vandilson.

Os pais, conforme o delegado, foram encaminhados à delegacia de Capivari de Baixo. Para a polícia, a mãe relatou inicialmente que os ferimentos da criança teriam sido provocados por uma queda. “Mas, conforme os médicos, a versão da mãe não foi compatível com o quadro de saúde apresentado pela bebezinha”, diz Vandilson.

Até o fechamento desta edição, o estado de saúde da bebê era considerado gravíssimo, sendo que ela corria risco de morte. O caso é acompanhado pelo Conselho Tutelar da cidade, que, por sigilo, não pode repassar outras informações.

Mãe confessa que pai agrediu

Durante a tarde de ontem, conforme o delegado, os pais foram novamente ouvidos. “Então, a mãe confessou que foi o companheiro que praticou a conduta. O pai (da menina) foi preso em flagrante. Ele tem 25 anos”, diz o delegado. O homem foi preso por tentativa de homicídio, sendo encaminhado ao Presídio Masculino de Tubarão. Já a mãe responderá por maus-tratos em liberdade.

Fonte: Diário do Sul