Jovem de 18 anos é morto pela esposa em Garopaba

Homem foi atingido por golpe de faca após discussão.

Imagem Ilustrativa

Um jovem de 18 anos foi morto pela esposa em Garopaba, na madrugada de sábado (12). Rafael Aguiar dos Santos foi atingido por um golpe de faca na região do abdômen. A vítima chegou a ser socorrida com vida, mas não resistiu a lesão e morreu no hospital.

O delegado Walter Figueiredo Loyola, titular da Delegacia de Polícia da Comarca de Garopaba, esclareceu à reportagem do Portal Ahora, alguns aspectos sobre a investigação do homicídio de Rafael, morto pela esposa, Dainara Aguiar, após um desentendimento do casal.

O crime aconteceu na comunidade da Costa do Morro do Macacu por volta da 1 hora da madrugada. Rafael morava com a esposa e a filha, de apenas dois meses.

Segundo o delegado Loyola, a motivação do crime foi uma discussão, aparentemente banal e que fugiu ao controle, provocando o que classificou como uma fatalidade. 

“De acordo com depoimentos colhidos no local, a vítima chegou tarde da noite de uma comemoração com amigos, deixando a esposa em casa com a filha de colo. Ao chegar, iniciou-se uma discussão violenta e em determinado momento ela pegou uma faca e desferiu um único golpe na região do abdômen de Rafael”, relatou o titular da DPCo de Garopaba.

A ARMA DO CRIME

Um detalhe que chamou a atenção do delegado Walter Loyola foi a arma usada pela esposa, uma faca pequena, “comum” de cozinha, dessas usadas junto ao garfo em refeições, e que pode ter sido escolhida aleatoriamente pela esposa para atacar ou se defender do marido durante a discussão. A faca foi recolhida e está arrolada no inquérito como prova.

ÚNICO GOLPE, MAS FATAL

Loyola trabalha inicialmente com a hipótese de que o crime tenha acontecido “no calor do momento”, em um descontrole de Dainara durante a briga. O delegado também destaca que não havia nenhuma testemunha ocular na casa onde o homicídio aconteceu. 

Rafael foi ferido em um único golpe, mas em um local, destacado pelo investigador, como letal.

“Apesar do jovem ter sido encaminhado à Policlínica e terem sido tentadas técnicas de reanimação cardiopulmonar, ele veio a falecer no local mesmo; quando o socorro chegou ele já estava sem os sinais vitais”, frisou Loyola durante a entrevista.

SEM ANTECEDENTES

A linha investigativa usada pela Polícia Civil nesta fase inicial das investigações é de que o crime não tenha sido premeditado. Um dos argumentos usados seria o fato de que o casal não tinha histórico de agressões e nem ele possuía e nem ela possui qualquer passagem pela Polícia. Outro fato que pode corroborar com a hipótese será a perícia no telefone de Dainara, caso ela tenha, após o crime, tentado acionar a Polícia ou os Bombeiros para socorrerem o marido. 

“Temos que aguardar a perícia, os novos depoimentos e certamente o comparecimento da autora do crime à Delegacia e para isso os próximos dias serão decisivos”, acredita Loyola. 

PAI DA VÍTIMA FOI O PRIMEIRO A CHEGAR À CENA DO CRIME

Outro ponto destacado pelo delegado foi o depoimento do pai de Rafael que, segundo testemunhou, foi o primeiro a chegar ao local e ver o filho caído.

O pai de Rafael, bastante transtornado, disse aos investigadores que chegou a falar com a nora que confessou a ele ter esfaqueado o marido, depois sumiu, antes que a Polícia e o Corpo de Bombeiros chegassem.

“Sem testemunhas oculares, precisamos embasar o inquérito nos depoimentos dos familiares e amigos do casal, ainda vamos ouvi-lo mais a frente, após passar esse momento em que a família está transtornada”, revela o delegado.

Outra importante peça no inquérito diz respeito ao telefone celular de Dainara, que foi apreendido.

“Um ponto que deve ser determinante nas investigações será a perícia a ser feita no telefone da autora que deve revelar, entre outras coisas, se ela cometeu o crime por raiva e impulso; normal nesse caso é que ela tivesse tentado pedir socorro. Vamos aguardar o laudo que irá analisar o histórico de chamadas do aparelho”, complementa Loyola.

DAINARA ESCAPA DO LOCAL E SE ENCONTRA “FORAGIDA”

Segundo testemunhas e parentes que estavam nas proximidades no momento do crime, Rafael  e a esposa, Dainara, discutiam aos gritos, chamando a atenção dos familiares que foram até a casa do jovem casal er o que estava acontecendo.

O pai da vítima foi o primeiro a chegar e encontrou o filho caído ao chão com um forte sangramento na região do abdômen causado pelo golpe de faca. Ele chegou a ver e falar com a nora que confessou ter esfaqueado Rafael durante a briga. Enquanto os familiares procuravam meios de ajudar o jovem, Dainara fugiu do local sem que percebessem.

Por ser uma região de mata densa, foi acionado o Cão de Faro da Polícia Militar para auxiliar nas buscas, mas diante da escuridão e extensão da área a homicida não foi localizada.  

“As buscas pela autora ainda continuam e caso se tenha alguma informação quanto ao paradeiro da autora pedimos que denunciem através do telefone de emergência 190 ou diretamente na Delegacia de Polícia Civil”, solicita o delegado Walter Loyola, que está à frente das investigações.

O delegado explica que Dainara não é considerada foragida, pois ainda não foi expedido mandado de prisão, mas se encontra em local ignorado, o que dificulta o andamento do processo ao qual deve responder. Loyola disse que a expedição do mandado de prisão ainda depende do andamento das investigações. Por enquanto, ela está apenas “desaparecida”.

Os investigadores trabalham ainda com a hipótese de que familiares do casal estejam escondendo Dainara. A filha de dois meses do casal está aos cuidados da mãe de Rafael, mas a criança é lactante e depende principalmente da amamentação da mãe para se alimentar, o que torna a situação, segundo o delegado, ainda mais delicada.