Suspeito aponta local e corpo é achado em São Martinho

No local indicado a polícia encontrou uma ossada humana, enterrada, envolta em um plástico preto.

suspeito-aponta-local-e-corpo-e-achado-em-sao-martinho
Foto: Divulgação/Notisul

Uma semana após ser preso, ter confessado que matou Moisés Ribeiro e dado diversas versões para o crime, o suspeito do assassinato apontou o local onde estaria o corpo da vítima.

No local indicado, com a presença do investigado, a polícia encontrou na manhã de ontem, em um terreno em São Martinho, uma ossada humana, enterrada, envolta em um plástico preto.

De acordo com o delegado Juliano Baesso, de Imbituba, que coordena o caso, no dia 2 deste mês o suspeito foi preso em sua casa. Após a prisão, ao ser confrontado com as provas existentes, notadamente com o conteúdo das interceptações autorizadas pelo Judiciário, o investigado, em seu terceiro interrogatório, teria confessado a autoria do homicídio.

Na versão do suspeito, ele teria acertado dois golpes na vítima e, em seguida, a teria jogado desacordada no interior do Rio Duna, em Imbituba. “Dando prosseguimento às investigações, apurou-se que a versão do suspeito não correspondia com a realidade. Novamente interrogado, o investigado mudou as informações e disse que havia ceifado a vida de Moisés com um tiro na nuca e, posteriormente, jogado o corpo no fogo”, fala o delegado.

Contudo, segundo Juliano, novamente o investigado acabou entrando em contradições. Então, em seu quinto depoimento, o investigado confessou que enterrou o corpo em sua propriedade, localizada em São Martinho.

Assim, na manhã de sexta-feira uma equipe da Polícia Civil de Imbituba, juntamente com o IML e o IGP de Tubarão, seguiu até o local onde o investigado apontou estar o corpo. “Após horas de trabalho, localizou-se o corpo da vítima, que estava enterrada a aproximadamente 1.30 metros de profundidade”, revela o delegado.

“Após localizarmos a ossada, foi acionado o helicóptero do Saer, que esteve no local e contribuiu para a retirada do corpo”, informa o delegado. Exames devem confirmar se a ossada encontrada trata-se do corpo de Moisés. O homem estava desaparecido desde setembro do ano passado.

Fonte: Diário do Sul