PMRv admite erro em não fazer escolta de ex-deputado após acidente

Polícia constatou embriaguez de João Pizzolatti, mas disse que ele se recusou a fazer o teste do bafômetro.

Colisão envolvendo três carros na SC-421 deixou jovem gravemente ferido (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

O comandante da Polícia Militar Rodoviária (PMRv) de Blumenau, Pablo David Henden, assumiu em entrevista ao Jornal do Almoço nesta quinta-feira (21) que deveria ter sido feita escola policial do ex-deputado federal João Pizzolatti após ele ter se envolvido em um acidente com três carros na SC-421, na quarta (20). Houve o auto de constatação de embriaguez, mas o ex-parlamentar não foi preso em flagrante e se recusou a fazer o teste do bafômetro (veja vídeo no fim da matéria).

O advogado de Pizzolatti, Michel Saliba Oliveira, informou que Pizzolati está se recuperando do trauma e que vai se manifestar e se colocar à disposição dos órgãos de investigação para prestar os esclarecimentos.

“A Polícia Militar Rodoviária acabou demorando um pouquinho para chegar, acabou não fazendo a escolta da ambulância por estar concluindo os trabalhos de confecção de documentação. O senhor João Pizzolatti se evadiu do hospital até sem atendimento. Ele estava sob nossa custódia, foi um equívoco por parte da nossa guarnição”, disse Henden.

Ao G1, o tenente-coronel Fábio Martins, responsável pela seção de Comunicação Social da PMRv no estado, explicou que os procedimentos prévios à prisão em flagrante foram feitos: os autos de constatação de embriaguez e de recusa de bafômetro.

Pizzolatti é auditor fiscal da Fazenda, lotado na gerência de Blumenau. A remuneração bruta de outubro deste ano dele, conforme o último contracheque disponibilizado no Portal da Transparência, foi de R$ 32.821,58. A Secretaria de Fazenda ficou de confirmar à reportagem se Pizzolatti estava em horário de expediente ou em férias na data e horário do acidente.

O advogado do ex-deputado disse também que familiares de Pizzolatti informaram que ele tem problemas com alcoolismo e que pretende se internar.

Conduta policial

“Não foi consumada a lavratura de prisão de flagrante que ocorreria levando à delegacia. Mas no momento do caso, foi uma opção do acidente. Tinha crianças, idosos passando na rodovia, priorizou-se o atendimento primeiro das vítimas”, disse Martins.

Ainda segundo ele, toda a documentação será encaminhada para a Polícia Civil para abertura de um inquérito. Até a manhã desta quinta-feira (21), a Central de Plantão Policial não havia recebido os autos.

O delegado Douglas Roberto de Cinque, que estava de plantão na quarta, explica que no mesmo dia seria possível fazer a prisão, caso os procedimentos corretos tiverem sido realizados. “Se estivesse apresentado a ocorrência, junto com o conduzido, iam ser tomadas as medidas cabíveis”, disse.

Acidente

O acidente foi no início da tarde de quarta. Segundo os bombeiros, Pizzolatti estava em um Volvo com placas de Joinville que bateu em outros dois carros. O ex-deputado aparentava sinais de embriaguez. Em um vídeo, o ex-parlamentar aparece alterado após o acidente (veja abaixo).

No acidente, um jovem de 23 anos teve queimaduras de 1º e 2º graus e está internado no Hospital Santo Antônio. Ele estava num Mobi com placas de Blumenau que pegou fogo. Uma terceira vítima, uma mulher de 43 anos, teve lesões leves e passa bem. Ela estava num Hyundai com placas de Pomerode.

Com machucados no rosto, Pizzolatti foi para o Hospital Santa Isabel, mas teve alta por volta das 14h30, segundo a unidade.

Fonte: G1 Santa Catarina

Vídeo: Ex-deputado João Pizzolatti provoca acidente de trânsito e admite embriaguez em SC