Moradora de Capivari de Baixo perde 39 quilos com dieta

Como em uma determinação de Ano Novo, em 1º de janeiro de 2017, pesando exatos 99,6 quilos, Liliane deu início à sua mudança de vida. E ela nem imaginava o quanto sua vida iria mudar.

Em novembro de 2016, quando um pico de pressão de 17 por 16 a levou de maca para o hospital, o sinal vermelho acendeu para Liliane Souza Souza, de Capivari de Baixo, e ela percebeu ali que precisava realmente emagrecer. Aos 37 anos e 1,60m, estava pesando quase 100 quilos.

Foi então que a dona de casa começou a pesquisar sobre dietas e chegou à dieta low carb, que propõe reduzir a quantidade de carboidratos ingeridos. Como em uma determinação de Ano Novo, em 1º de janeiro de 2017, pesando exatos 99,6 quilos, Liliane deu início à sua mudança de vida. E ela nem imaginava o quanto sua vida iria mudar.

Hoje, pouco mais de um ano depois, aos 38 anos, os 99,6 quilos se transformaram em 60 quilos. E não foi apenas o corpo ou o guarda-roupa de Liliane que mudaram. Ela se tornou uma verdadeira inspiração para mulheres no país inteiro e até no exterior.

Pelas redes sociais, ela criou o grupo “Bora magrelar com Lilly”, e nele passa receitas, dicas, conselhos e tem ajudado inúmeras mulheres a alcançar este objetivo que muda vidas. Além disso, passou a fazer das receitas que utiliza também uma fonte de renda. “Muita gente me pedia para fazer uma ou outra receita, então decidi começar a fazer estes pratos e comercializar”, conta.

Agora, Liliane passará a ter também o acompanhamento do médico Gabriel Scalon Betzkowski e também do personal trainer Ramon Medeiros. Em fevereiro, Liliane lançará um e-book com sua história, além de receitas, fotos e dicas. Para entrar em contato com Liliane, o telefone é (48) 99604-3247.

Bomba-relógio

Sem medicamentos, apenas com força de vontade e determinação, Liliane deu início ao seu processo em busca do emagrecimento. Com colesterol nas alturas, pré-diabetes e picos de pressão, rotineiros trabalhos domésticos a colocavam em risco, quase como uma bomba-relógio. “Quando eu comecei a perceber que fazer simples trabalhos domésticos, como arrumar a casa ou mesmo fazer o almoço, se tornaram verdadeiros trabalhos estafantes, que me faziam ficar de cama, decidi que precisava mudar”, conclui.

Com informações do Jornal Diário do Sul