Em SC, menina de 10 anos pede escudo do Capitão América para vencer luta contra câncer

Harumi Pinheiro faz tratamento há quatro contra leucemia.

em-sc-menina-de-10-anos-pede-escudo-do-capitao-america-para-vencer-luta-contra-cancer
Menina realizou o sonho de conhecer super-herói (Foto: Reprodução NSC TV)

Em Navegantes, no Litoral Norte catarinense, uma menina de 10 anos há quatro faz tratamento contra o câncer. Depois de tantos remédios para vencer a doença, e das idas e vindas ao hospital, ela tinha o sonho de receber um escudo do Capitão América para ajudar na batalha contra uma leucemia, como mostrou o Jornal do Almoço.

Durante os dias difíceis de internação, Harumi Pinheiro postou na internet um vídeo em que relata o sonho de conhecer o super-herói e ter o escudo dele.

A postagem foi feita depois que ela soube de um policial que visita hospitais em São Paulo com a fantasia do herói. O pedido chegou até outro Capitão América que mora em Indaial, no Vale do Itajaí. Ele resolveu fazer uma visita surpresa para a menina.

Harumi fez o vídeo no hospital pedindo para conhecer o super-herói (Foto: Reprodução NSC TV)

“Como a gente também tem um projeto aqui em Santa Catarina e tô pertinho dela, por que não vir? Se eu soubesse do problema dela, desse sonho, já estaria aqui há muito tempo”, afirmou Rodrigo Miceli, o Capitão América catarinense.

Harumi descobriu a leucemia em 2013. Depois disso, outros órgãos foram afetados e, agora, ela espera pelo transplante de medula óssea. Do Capitão América, ela ganhou a fantasia, o escudo e, espera, a força.

“Ele tem um escudo que é inquebrável, ele é superforte, tem uma superforça, também é muito rápido, também é supercorajoso. Na história, ele era um homem fraco, que estava na guerra, aí fizeram experimentos com ele e ele se tornou forte e super-herói”, contou Harumi.

Para a mãe da menina, depois de acompanhar a luta contra o câncer, Harumi é a verdadeira heroína da história.

“Ela é vitoriosa, superguerreira, ela tem sim superpoderes. De receber remédio forte e no outro dia estar linda, sorrindo. Então, para mim isso é superpoder. O exame dela não está muito legal, está muito baixo. E hoje ela está aqui assim. Então é superpoder, né?”, diz Lilian Santarosa, mãe da criança.

Lilian abraça a filha heroína Harumi (Foto: Reprodução NSC TV)

G1 Santa Catarina